terça-feira, 8 de março de 2011

Querida Mãe :



Batalha,08 de Março de 2011
QUERIDA MÃE:


São tão poucas as vezes que te escrevo, são tão poucas as vezes que te olho com olhos de ver, são tão poucas as vezes que te entendo ou quero entender, mas nunca deixam de ser tão poucas as vezes que te admiro .
Cresci a ver-te lidar com a vida de uma maneira diferente, por vezes ansiava vir a ser como tu, por outras eras o meu maior pesadelo. Nunca me imaginaria crescer tão infeliz, acordar com o rosto molhado de vergonha, enrolada em pensamentos frustrados... quem disse que ser feliz não custa? 
De uma coisa eu tenho a certeza, hoje sei o que é viver..
Deixas-me interrogada de pensamentos, de porquês, não te percebo,talvez não precise ou simplesmente não queira.. mas pelo menos MUDA!! Não somos perfeitas, nunca fomos, fingimos todos os dias ser algo que não somos , UMA FAMÍLIA.Pelo menos não uma família normal.
Família que é família, não se trai, não se trata mal, não se mente ... família que é família AMA-SE, simplesmente pelo facto de terem a sorte de se terem uns aos outros.. mas que sabemos nós disso?
Ah ás vezes paro a ver o tempo passar. e recordo-me de quando era pequena, e ralhavas comigo:
 - Não são coisas para meninas da tua idade, porque é que tens a mania de querer crescer tão depressa!
Hum, eu limitava-me a sorrir, afinal era criança, mas no fundo nunca quis crescer depressa, simplesmente a vida se mostrou demasiado complicada ,e eu, que de inocente já não tinha nada ,tive de a acompanhar..
Admito . não sou  um espelho da tua figura (graças a deus) não o digo por mal, mas alguém que errou tanto não pode esperar ser um exemplo.. não sou a tua filha perfeita, e vamos ser sinceras , não és das mais perfeitas mães, mas não é por isso que deixas de ter o devido valor..
Ao longo dos tempos fui-me fechando para comigo mesma.. e admito que talvez não tenhas ouvido da minha boca um "amo-te" ou adoro-te" tantas vezes como gostarias, mas mais vale um "adoro-te" sentido do que um zilião de palavras bonitas que lá no fundo não passam de fogo de vista. 
Não sou uma rapariga como as outras, e tu melhor que ninguém o sabes, mas por vezes esqueceste ou fazes-te de esquecida, talvez porque a altura te favorece ou então apenas por o puro prazer de implicância .
Tens ideia do que passei durante este tempo todo? Fazes ideia de quantas vezes precisei de ti, chorei por ti, gritei por ti, e tu simplesmente não estavas lá.!? Fazes ideia do que é crescer frustrada porque ninguém te compreende, do que é viver coisas que não entendes mas que não voltam atrás, fazes ideia do que é crescer com esta família, ou amostra disso.!? Fazes ideia do que é crescer ao ver-te discutir com pai, ao saber que és enganada com outras mulheres, ao ver-te a chorar no sofá , coberta de nódoas negras? Fazes ideia do quão só me senti? 
As noites passadas no quarto a chorar agarrada à única coisa que de dava segurança , agarrada à única recordação que tinha de enquanto fui feliz, ou pelo menos inocente o suficiente para o ser, simplesmente não desaparecem, não vão embora. Pensas que foi fácil, ver-te a ser posta na rua, numa noite de tempestade? Pensas que não me doí ver-te infeliz? Se quero ser como tu? NÃO !!! Quero ser melhor, quero aprender com os teus erros com a tua vida, quero puder ser algo que tu nunca tiveste oportunidade de ser, quero ser FELIZ .
 Quero puder olhar para atrás e pensar que fiz tudo o que podia e tinha de fazer...
Mais uma vez, não sou nem nunca hei-de ser perfeita, mas sou o que tu tens aqui e agora, sou a tua filha bolas, que te custa tentar conhecer-me? 




espero sinceramente que um dia , tenha a coragem de te dizer isto, por enquanto fica no papel...




Da tua para sempre  filha
com todo o amor e lembrança
Patrícia.G

1 comentário:

  1. Obrigada por seguires, e parabéns :P
    escreves muitoo bem ^_^

    ResponderEliminar